domingo, 22 de agosto de 2010

Mediocrisia





Um brinde à hipocrisia;
Um viva à mediocridade;
Saúdem todos os que fingem
E aqueles em que nas veias
[correm trivialidades.
Escondam a culpa;
Aumentem o medo;
Escrevam poesias
Deixando as palavras escorrerem
[entre os dedos.
Façam terrorismo;
Aplaudam quem sabe ser vulgar
Porque como um bom voyeur,
O sádico só tem que esperar.
Disseminem o ceticismo;
Anulem a estupidez;
Deformem a realidade
Para que todo se contamine
[outra vez.
Não insistam, nem discordem
Há sempre um motivo que justifique;
Causem mais dor
E então se sacrifiquem.
Não é apenas egoísmo;
Não é só apatia;
É simplesmente um brinde à mediocridade,
E um viva à hipocrisia.

2 comentários:

  1. Não sabia que escrevia tão bem. Retratou muito bem em sua sarcástica observação, o puro e avançado avesso desta sociedade vigente dita "superiomente interessante" É de uma dor profunda saber que até nós mesmo, que repudiamos essa essência do ser inacabado, caímos muitas vezes nesse abismo da mediocridade.

    Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir

Lacre o envelope, Cole o selo!