domingo, 28 de novembro de 2010

Ice Queen



O abismo cresceu e ela nem se deu conta,

As horas passaram e nada conseguiu comover aquele olhar.

Ela me esqueceu a muito tempo,

Eu vi, nem sequer chorou minha ausência.

Mas e se eu sangrasse, ela se importaria?

Porque toda vez que eu fecho meus olhos para vê-la sorrir,

Seu semblante está mudo.

E quando eu deixo as luzes acesas,

Ela simplesmente ignora o meu medo do escuro.

Será que ela não percebe que está faltando alguma coisa?

Que nosso mundo está em ruínas?

É, o jogo acabou.

E dessa vez eu quem perdi,

Apostei nas mentiras sinceras enquanto ela negava o passado.

Talvez seja difícil para ela encarar o que sente.

Mas quem lhe dirá que apagar não significa esquecer?

Deixe-a fingir, esconder, enganar.

Ela pode até acabar comigo se isso a faz se sentir bem,

E me odiar se isso a mantém viva.

Mas quando me perguntarem sobre ela,

Eu não hesitarei em dizer:

Claro, ela tem coração... Só não bate!

2 comentários:

  1. "Às vezes, passa até despercebido...
    Mas a luz que foi deixada para trás é, também, um pouco da escuridão que persegue."
    Realmente adorei este. ^-^

    ResponderExcluir

Lacre o envelope, Cole o selo!